Notícias > Seção Match Frame, com Quito Ribeiro

cartela match frame Quito 01

15.JAN.14 | Quito Ribeiro responde às perguntas da Seção Match Frame. Quito montou, entre outros filmes, “Paraísos artificiais”, Bróder” e “Viva São João!”.

Quito+Ribeiro

1) Fale sobre o projeto em que você está trabalhando atualmente.

Terminei a edição da minissérie para a rede Globo, Amores Roubados com direção de José Villamarin. Estou finalizando a edição do longametragem Tim Maia dirigido por Mauro lima e produzido pela RT Features.

2) Qual foi o trabalho que significou o maior desafio em sua carreira e explique o porquê.

Nao sei te responder sobre o maior desafio. A nossa atividade tem um desafio constante de contar historias e a dificuldade de contar determinada história com o material gravado/filmado é ao mesmo tempo a dor e a delicia para os editores.

3) As recentes mudanças tecnológicas tiveram algum impacto sobre a sua forma de pensar a montagem e de trabalhar?

Sobre tecnologia penso o seguinte: Eu sou da geração que começou a editar junto com a chegada dos Avids ao Brasil. Meu método de edição foi portanto criado e todo baseado neste primeiro contato com a edição e com o software ao mesmo tempo. Com o surgimento do final cut, de inicio adaptei ele para não atrapalhar minha maneira de editar já baseada no que aprendi no Avid, Mas aos poucos fui me “entrosando” com o final cut e usando algumas das suas características no meu método.
As mudanças na captação de imagem não alteraram muito meu trabalho em si, mas interferem nafinalização de um modo geral e acabam interferindo lateralmente na edição.

4) Indique um filme cuja edição você admire e explique o porquê.

Pra citar exemplos recentes gosto muito da edição de O som ao redor de Kleber Mendonça filho( editado por ele mesmo junto com João Maria); E da edição de O Garoto da bicicleta (le Gamin au Velo) dos irmãos Dardenne editado por Marie Helene Dozo. Gosto de ambas pelo mesmo motivo: pela precisão e pela concisão; duas características muito importantes para mim na montagem de qualquer coisa.

5) Como você acha que a associação pode contribuir para a nossa categoria? Você já notou alguma mudança? Tem alguma sugestão?

Acho que a Edt. Tem tudo para ser um grande espaço de reflexão sobre o audiovisual a partir da ótica dos editores e de outros membros da Pós produção que são uma contrapartida muito importante na nossa área e que são ainda um pouco invisíveis, principalmente para os leigos, mas mesmo para outros colegas de trabalho.

Compartilhar