Archives

Filmes montados por associados da edt. são premiados no Festival do Rio

09.OUT.14 | A edição de 2014 do Festival do Rio terminou nesta quarta premiando, em diversas categorias, títulos que tiveram montagem de associados da edt.

“Sangue Azul”, de Lírio Ferreira, foi o longa de ficção vencedor da mostra competitiva da Première Brasil. O filme, montado por Mair Tavares e Tina Saphira, recebeu também os prêmios de melhor direção e melhor ator coadjuvante.

“Casa Grande”, de Fellipe Barbosa, foi eleito melhor longa de ficção pelo júri popular. A associada Nina Galanternick assina a montagem do filme, junto com Karen Sztajnberg. O documentário escolhido, “Favela Gay”, dirigido por Rodrigo Felha, foi montado por Quito Ribeiro.

Na mostra Novos Rumos, “O bom comportamento”, dirigido por Eva Randolph e montado por ela e Marília Morais, foi escolhido o melhor curta. Alexandre Gwaz montou “Deusa Branca”, de Alfeu França, vencedor do prêmio especial do júri.

Parabéns aos associados, que mais uma vez marcaram firme presença nesse que é um dos mais importantes festivais do Brasil.

Confira a lista completa dos premiados do festival:

Melhor Longa-Metragem de Ficção: Sangue Azul, de Lírio Ferreira
Melhor Longa-Metragem de Doc: À Queima Roupa, de Theresa Jessouroun
Melhor Curta-Metragem: Barqueiro, de José Menezes e Lucas Justiniano
Melhor Diretor de Ficção: Lírio Ferreira ( Sangue Azul)
Melhor Diretor de Doc: Theresa Jessouroun (À Queima Roupa)

Melhor Atriz: Bianca Joy Porte (Prometo Um Dia Deixar Essa Cidade)
Melhor Ator: Matheus Fagundes (Ausência)
Melhor Atriz Coadjuvante: Fernanda Rocha (O Último Cine Drive-In)
Melhor Ator Coadjuvante: Rômulo Braga (Sangue Azul)
Melhor Fotografia: André Brandão (Obra)
Melhor Montagem: Luisa Marques (A Vida Privada Dos Hipópotamos)
Melhor Roteiro: Murilo Salles (O Fim E Os Meios)
Prêmio Especial Do Júri: Ausência, de Chico Teixeira
Prêmio pelo Conjunto da Obra: Othon Bastos

Novos Rumos
Melhor Filme: Castanha, de Davi Pretto
Melhor Curta: Bom Comportamento, de Eva Randolph
Prêmio Especial do Júri: Deusa Branca, de Alfeu França
Júri presidido por Felipe Bragança e composto por Bianca Comparato e Cavi Borges

Prêmio Fipresci: Obra, de Gregorio Graziosi
Júri composto por Ernesto Diez Martinez, Luiz Zanin e Roni Filgueiras

Júri voto popular
Melhor Longa Ficção: Casa Grande, de Fellipe Gamarano Barbosa
Melhor Longa Documentário: Favela Gay, de Rodrigo Felha
Melhor Curta: Max Uber, de Andre Amparo

Mostra Geração: Finn, de Frans Weisz

Prêmio Felix
Melhor Documentário: De Gravata e Unha Vermelha, de Miriam Chnaiderman
Melhor Ficção: Xenia, de Panos H. Koutras

Prêmio Especial do Júri: Toda Terça-Feira, de Sophie Hyde

 

 

 

Associados da edt. marcam presença na programação do Festival do Rio 2014

24.SET.14 | Quinze dos setenta filmes brasileiros programados para o Festival do Rio 2014, que abre para o público nesta quinta, dia 25, têm participações de montadores da edt.

Da mostra competitiva de longas de ficção, Mair Tavares montou “Sangue azul”, de Lírio Ferreira , Karen Harley é a montadora de “O fim e os meios”, de Murillo Salles e Nina Galanternick  é co-montadora (com Karen Sztajnberg) de “Casa Grande”, de Fellipe Barbosa. “Favela Gay”, de Rodrigo Felha, está na mostra competitiva de longas documentários, com montagem de Quito Ribeiro.

Na competitiva de curtas de ficção, “Outono” de Anna Azevedo, é co-montado por Eva Randolph. Na competição de documentários em curta-metragem, “Cine Paissandu: histórias de uma geração”, de Christian Jafas, tem montagem de Giovanna Giovanini.

Na mostra Novos Rumos de longas, Nina Galanternick aparece novamente na montagem de “Seewatchlook – O que você vê quando olha o que enxerga?”, de Michel Melamed. O documentário “Tudo vai ficar da cor que você quiser”, de Letícia Simões, foi montado por Vinícius Nascimento.

“O bom comportamento”, dirigido e montado por Eva Randolph, e “A deusa branca”, de Alfeu França, montado por Alexandre Gwaz, estão na mostra Novos Rumos de curtas.

Na categoria hors concours da Première, Tina Saphira montou o longa “Infância”, de Domingos Oliveira, e o curta “Compêndio”, de Eugenio Puppo e Ricardo Carioba, tem como montador Joaquim Castro.

Na mostra Retratos, Diana Vasconcellos assina a montagem do longa “O vento lá fora”, de Márcio Debellian. O curta “Caetana”, de Felipe Nepomuceno, tem montagem de Arthur Frazão.

A mostra Geração exibirá o longa “Encantados”, de Tizuka Yamasaki. O filme tem montagem de Tainá Diniz e Marta Luz.

Confira as sinopses dos filmes e as respectivas sessões no festival:

 

 Première Brasil – Competitiva Longa ficção

CASA GRANDE (direção: Fellipe Barbosa / montagem: Nina Galanternick e Karen Sztajnberg)

Jean é um adolescente rico que luta para escapar da superproteção dos pais, secretamente falidos. Quando o motorista de longa data é demitido, Jean tem a tão sonhada chance de pegar o ônibus público pela primeira vez. No ônibus, ele conhece Luiza, uma aluna da rede pública que começa a abrir seus olhos para as contradições de dentro e fora da casa grande.

Sexta, 03/10 21:45* Cinepolis Lagoon 1
Sexta, 03/10 21:45* Cinepolis Lagoon 4
Sexta, 03/10 21:45* Cinepolis Lagoon 2
Sexta, 03/10 21:45* Cinepolis Lagoon 3
Sábado, 04/10 15:00 Pavilhão do Festival
Domingo, 05/10 16:45 São Luiz 4
Domingo, 05/10 21:45 São Luiz 4

O FIM E OS MEIOS (direção: Murilo Salles / montagem: Karen Harley)

O filme conta a história de Paulo e Cris, um jovem casal que se muda para Brasília para tentar resolver os impasses da relação. Ela é jornalista, ele é publicitário. A campanha eleitoral de um senador da república desencadeia um jogo de poder em que a mídia e a política convivem de forma perigosa com os desejos e as fraquezas da relação entre homem e mulher. As raízes do Brasil são expostas através dos sentimentos daqueles que vivem dentro do furacão do cotidiano do poder.

Quinta, 25/09 21:45* Cinepolis Lagoon 1
Quinta, 25/09 21:45* Cinepolis Lagoon 4
Quinta, 25/09 21:45* Cinepolis Lagoon 2
Quinta, 25/09 21:45* Cinepolis Lagoon 3
Sexta, 26/09 15:00 Pavilhão do Festival
Sábado, 27/09 16:45 São Luiz 4
Sábado, 27/09 21:45 São Luiz 4

SANGUE AZUL (direção: Lírio Ferreira / montagem: Mair Tavares)

Há 20 anos, numa ilha vulcânica e paradisíaca, um menino de 10 anos foi separado de sua irmã. A mãe, temerosa que uma atração incestuosa se desenvolvesse entre os dois, mandou seu filho para o continente com Kaleb, o ilusionista do Circo Netuno, que estava passando pela ilha. No continente, Kaleb instruiu o menino nas artes do circo e do espírito, e o ex-ilhéu se tornou Zolah, o Homem Bala. Zolah agora está de volta à ilha com o circo. Um paralelo entre cinema e circo para falar de mar, arte e amor.

Segunda, 29/09 21:45* Cinepolis Lagoon 1
Segunda, 29/09 21:45* Cinepolis Lagoon 4
Segunda, 29/09 21:45* Cinepolis Lagoon 2
Segunda, 29/09 21:45* Cinepolis Lagoon 3
Terça, 30/09 15:00 Pavilhão do Festival
Quarta, 01/10 16:45 São Luiz 4
Quarta, 01/10 21:45 São Luiz 4

 

 Première Brasil – Competitiva Longa Documentário

FAVELA GAY (direção: Rodrigo Felha / montagem: Quito Ribeiro)

O filme mostra como é a vida da comunidade LGBT nas favelas do Rio de Janeiro. Gays existem em todo lugar, seja no morro ou no asfalto, mas aqui o assunto é tratado com a participação de outros signos – o tráfico, as igrejas evangélicas e a vizinhança. O filme também aborda as questões comuns dos homossexuais e transexuais: homofobia, preconceito, aceitação da família, trabalho e o dia a dia com a sociedade. Apesar das adversidades, cada personagem, inserido no cotidiano de sua comunidade, conta como reinventou sua história através da música, da dança, da política e do estudo.

Sexta, 03/10 17:00* Cinepolis Lagoon 1
Sexta, 03/10 17:00* Cinepolis Lagoon 2
Sexta, 03/10 17:00* Cinepolis Lagoon 3
Sábado, 04/10 13:00 Pavilhão do Festival
Domingo, 05/10 14:15 São Luiz 4
Domingo, 05/10 19:15 São Luiz 4

 

 Première Brasil – Competitiva Curtas Ficção

OUTONO (direção: Anna Azevedo / montagem: Eva Randolph, Anna Azevedo e Vinícius Brum)

De toda uma vida, sobreviveu uma única lembrança. Apenas uma.

Sábado, 27/09 21:45 Cinepolis Lagoon 1
Sábado, 27/09 21:45 Cinepolis Lagoon 2
Sábado, 27/09 21:45 Cinepolis Lagoon 3
Sábado, 27/09 21:45 Cinepolis Lagoon 4
Domingo, 28/09 15:00 Pavilhão do Festival
Segunda, 29/09 17:00 São Luiz 4
Segunda, 29/09 21:45 São Luiz 4

 

 Première Brasil – Competitiva Curtas Documentários

CINE PAISSANDU: HISTÓRIAS DE UMA GERAÇÃO (direção:  Christian Jafas / montagem: Giovanna  Giovanini)

Documentário sobre o cinema que formou a Geração Paissandu, nos anos 1960, e o impacto cultural e social desse período para a história do país. Hoje, 50 anos após o golpe militar, o movimento é um exemplo para os que lutam contra o autoritarismo, as diferenças sociais e as políticas públicas que usam a força policial como um meio de repressão.

Quinta, 02/10 17:00 Cinepolis Lagoon 1
Quinta, 02/10 17:00 Cinepolis Lagoon 2
Quinta, 02/10 17:00 Cinepolis Lagoon 3
Sexta, 03/10 13:00 Pavilhão do Festival
Sábado, 04/10 14:15 São Luiz 4
Sábado, 04/10 19:15 São Luiz 4

 

 Novos Rumos Longas

TUDO VAI FICAR DA COR QUE VOCÊ QUISER (direção: Letícia Simões / montagem: Vinícius Nascimento)

Uma apresentação do escritor, músico e artista plástico Rodrigo de Souza Leão. O filme se utiliza de material de arquivo inédito, videoclipes com as músicas de Rodrigo e videoartes a partir dos poemas escritos pelo autor e nunca publicados. Aos 23 anos, Rodrigo foi diagnosticado com esquizofrenia e criou todo seu trabalho dentro de casa. O filme conta ainda com a participação de entrevistados que efetivamente conheceram o artista, como o poeta Leonardo Gandolfi, a escritora Suzana Vargas e a artista plástica Julia Debasse.

Quinta, 25/09 20:00 Cinepolis Lagoon 6
Sexta, 26/09 16:45 C.C. Justiça Federal 1
Sábado, 27/09 18:00 Oi Futuro Ipanema
Quinta, 02/10 16:00 Ponto Cine

SEEWATCHLOOK: O QUE VOCÊ VÊ QUANDO OLHA O QUE ENXERGA? (direção: Michel Melamed / montagem: Nina Galanternick)

Documentário sobre os desafios de criar um espetáculo na cidade Nova York – o primeiro para ser assistido do High Line Park – pela perspectiva do artista brasileiro Michel Melamed e sobre as fronteiras entre a realidade e a ficção.

Terça, 30/09 20:00 Cinepolis Lagoon 6
Quarta, 01/10 16:45 C.C. Justiça Federal 1
Quinta, 02/10 18:00 Oi Futuro Ipanema
Sábado, 04/10 20:10 Ponto Cine

 

 Novos Rumos Curtas

O BOM COMPORTAMENTO (direção e montagem: Eva Randolph)

Férias de verão na colônia. Isolados pela natureza e com os celulares apreendidos, os adolescentes se divertem em atividades ao ar livre. Desconhecida pelos demais, Laura tenta se adaptar. Exibido na mostra competitiva do Festival de Locarno 2014.

Sábado, 04/10 20:00 Cinepolis Lagoon 6
Domingo, 05/10 16:45 C.C. Justiça Federal 1
Terça, 07/10 16:00 Oi Futuro Ipanema
Terça, 07/10 20:00 Ponto Cine

A DEUSA BRANCA (direção: Alfeu França / montagem: Alexandre Gwaz)

Em 1958, o polêmico Flávio de Carvalho integra uma expedição à Região Amazônica. Seu objetivo era realizar um filme unindo pesquisa etnográfica e drama ficcional sobre uma menina branca que teria sido raptada por índios. Valendo-se do precioso material filmado durante a expedição, A deusa branca resgata esse obscuro episódio da vida desse genial artista.

Quinta, 25/09 20:00 Cinepolis Lagoon 6
Sexta, 26/09 16:45 C.C. Justiça Federal 1
Sábado, 27/09 18:00 Oi Futuro Ipanema
Quinta, 02/10 16:00 Ponto Cine

 

 Hors Concours Longas

INFÂNCIA  (direção:  Domingos Oliveira / montagem: Tina Saphira)

O filme se utiliza da delicadeza e particularmente do humor para descrever o funcionamento autoritário de uma família tipicamente brasileira na década de 1950, no Rio de Janeiro, chefiada por uma matriarca que espera ansiosamente a chegada da noite para ouvir Carlos Lacerda. Sua intensa trama emocional é abordada explicitando os absurdos dos comportamentos dos personagens.

Domingo, 05/10 19:15 Cinepolis Lagoon 1
Domingo, 05/10 19:15 Cinepolis Lagoon 2
Domingo, 05/10 19:15 Cinepolis Lagoon 3
Quarta, 08/10 14:15 São Luiz 4
Quarta, 08/10 18:00 Ponto Cine
Quarta, 08/10 19:15 São Luiz 4

 

 Hors Concours Curtas

COMPÊNDIO (direção Eugenio Puppo e Ricardo Carioba / montagem: Joaquim Castro)

Um homem velho preso a uma cadeira de rodas reflete sobre suas limitações. Ele tem como única distração uma bola, que passa o dia jogando para cima. Um dia, o inesperado acontece.

Quinta, 25/09 19:15 Cinepolis Lagoon 1
Quinta, 25/09 19:15 Cinepolis Lagoon 2
Quinta, 25/09 19:15 Cinepolis Lagoon 3
Sexta, 26/09 14:15 São Luiz 4
Sexta, 26/09 19:15 São Luiz 4
Sexta, 03/10 20:00 Ponto Cine

 

 Retratos Longas

O VENTO LÁ FORA (direção:  Marcio Debellian / montagem: Diana Vasconcellos)

Um retrato do poeta Fernando Pessoa a partir da leitura de poemas criada pela professora Cleonice Berardinelli e pela cantora Maria Bethânia. A leitura, apresentada ao público uma única vez, na FLIP 2013, foi filmada em estúdio com a presença de uma plateia de convidados. O roteiro do filme se constrói a partir do registro dos ensaios para a leitura, das conversas sobre a obra do poeta e de pesquisa de manuscritos e imagens raras.

Segunda, 06/10 20:00 Cinepolis Lagoon 6
Terça, 07/10 16:45 C.C. Justiça Federal 1
Terça, 07/10 18:00 Ponto Cine
Quarta, 08/10 16:00 Ponto Cine
Quarta, 08/10 18:00 Oi Futuro Ipanema

 

 Retratos Curta

CAETANA (direção:  Felipe Nepomuceno / montagem: Arthur Frazão)

Abril de 2014. Ariano Suassuna conversa com Caetana, como a morte é chamada no sertão nordestino.

Domingo, 05/10 20:00 Cinepolis Lagoon 6
Terça, 07/10 14:45 C.C. Justiça Federal 1
Terça, 07/10 16:00 Ponto Cine
Quarta, 08/10 16:00 Oi Futuro Ipanema
Quarta, 08/10 20:00 Ponto Cine

 

 Mostra Geração

ENCANTADOS (direção: Tizuka Yamasaki / montagem: Tainá Diniz e Marta Luz)

Atrevida e perseverante até a teimosia, Zeneida se transforma quando é desafiada. Tem acessos de pânico. O pai quer interná-la num hospício. Zeneida só quer sobreviver, agora que encontrou seu primeiro grande amor: Antonio, o Encantado Sucuri. Foge com ele, sem saber que aquela paixão os levará às fronteiras do mundo mítico dos Caruanas, as entidades da natureza. Ali ela encontra seus antepassados, a linhagem dos pajés que vivem na natureza da alma. Lutando para salvar o amor, é surpreendida.

Terça, 30/09 21:40* Estação Rio 1 ER133
Quinta, 02/10 13:40 Estação Rio 1 ER141
Sexta, 03/10 19:00 Cine Manguinhos MA000
Sábado, 04/10 18:00 Cine Carioca CA004
Domingo, 05/10 16:00 Ponto Cine PC011

 * Sessão com convidado(s)

 

 

 

Seção Match Frame, com Quito Ribeiro

15.JAN.14 | Quito Ribeiro responde às perguntas da Seção Match Frame. Quito montou, entre outros filmes, “Paraísos artificiais”, Bróder” e “Viva São João!”.

Quito+Ribeiro

1) Fale sobre o projeto em que você está trabalhando atualmente.

Terminei a edição da minissérie para a rede Globo, Amores Roubados com direção de José Villamarin. Estou finalizando a edição do longametragem Tim Maia dirigido por Mauro lima e produzido pela RT Features.

2) Qual foi o trabalho que significou o maior desafio em sua carreira e explique o porquê.

Nao sei te responder sobre o maior desafio. A nossa atividade tem um desafio constante de contar historias e a dificuldade de contar determinada história com o material gravado/filmado é ao mesmo tempo a dor e a delicia para os editores.

3) As recentes mudanças tecnológicas tiveram algum impacto sobre a sua forma de pensar a montagem e de trabalhar?

Sobre tecnologia penso o seguinte: Eu sou da geração que começou a editar junto com a chegada dos Avids ao Brasil. Meu método de edição foi portanto criado e todo baseado neste primeiro contato com a edição e com o software ao mesmo tempo. Com o surgimento do final cut, de inicio adaptei ele para não atrapalhar minha maneira de editar já baseada no que aprendi no Avid, Mas aos poucos fui me “entrosando” com o final cut e usando algumas das suas características no meu método.
As mudanças na captação de imagem não alteraram muito meu trabalho em si, mas interferem nafinalização de um modo geral e acabam interferindo lateralmente na edição.

4) Indique um filme cuja edição você admire e explique o porquê.

Pra citar exemplos recentes gosto muito da edição de O som ao redor de Kleber Mendonça filho( editado por ele mesmo junto com João Maria); E da edição de O Garoto da bicicleta (le Gamin au Velo) dos irmãos Dardenne editado por Marie Helene Dozo. Gosto de ambas pelo mesmo motivo: pela precisão e pela concisão; duas características muito importantes para mim na montagem de qualquer coisa.

5) Como você acha que a associação pode contribuir para a nossa categoria? Você já notou alguma mudança? Tem alguma sugestão?

Acho que a Edt. Tem tudo para ser um grande espaço de reflexão sobre o audiovisual a partir da ótica dos editores e de outros membros da Pós produção que são uma contrapartida muito importante na nossa área e que são ainda um pouco invisíveis, principalmente para os leigos, mas mesmo para outros colegas de trabalho.