Archives

edt no festival É tudo verdade

Começa hoje no Rio o 23° Festival É tudo verdade. Homenageando os 50 anos de 1968, o festival dedicado exclusivamente ao filme documentário estará no Rio e São Paulo em 6 salas no total. A entrada é franca com retirada de ingresso 1h hora antes da sessão.

A edt está super bem representada por 7 documentários montados por associadas. São eles:

 

Missão 115 por Célia Freitas

 

 

16/04/2018 às 20h30 – Estação Net Botafogo

18/04/2018 às 14h00 – IMS Rio

 

 

 

O Processo por Karen Akerman com assistência de João Pedro Diaz

 

 

17/04/2018 às 20h30 – Estação Net Botafogo

18/04/2018 às 18h00 – Estação Net Botafogo

 

 

 

Zaatari – Memórias do Labirinto por Joana Ventura

Trailer

 

14/04/2018 às 16h00 – Estação Net Botafogo

 

Auto de resistência por Marilia Moraes

Trailer

 

15/04/2018 às 20h30 – Estação Net Botafogo

17/04/2018 às 16h00 – IMS Rio

 

 

 

 

Che, memórias de um ano secreto por Mair Tavares

 

 

Mini miss montagem adicional por Eva Randolph

15/04/2018 às 16h00 – IMS Rio

 

La flor de la vida por Jordana berg

Trailer

 

18/04/2018 às 20h00 – IMS Rio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja aqui a programação completa: Festival é tudo verdade 2018

Karen Akerman e Pedro Bronz comentam sua premiação conjunta do Grande Prêmio de Cinema.

04.SET.15 | Na noite do dia 1º de setembro, durante o 14º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, sete associados da edt concorriam aos dois prêmios de montagem da noite nas categorias de longa-metragem ficção e documentário. Os premiados foram dois deles: Karen Akerman e Pedro Bronz.
Karen levou o troféu Grande Otelo de melhor longa-metragem de ficção por “O Lobo Atrás da Porta” (grande vencedor da noite) e Pedro pelo documentário “A Farra no Circo”. Ao subirem juntos ao palco, os dois fizeram menção à importância da edt. e aos outros associados indicados ao prêmio. Pedro dedicou sua vitória aos colegas da associação.
Além da emoção por receber os prêmios, o fato de serem sócios da produtora Pela Madrugada e amigos de longa data tornou a noite ainda mais especial. Karen e Pedro nos falaram exclusivamente sobre essa parceria, a noite de premiação e, claro, sobre os filmes laureados.
Karen relembra o início da parceria:
“Pedro Bronz é meu amigo desde criança, e há 15 anos atrás, movidos por uma paixão irracional pelo cinema, decidimos abrir a produtora independente Pela Madrugada. Naquela época éramos ainda aprendizes de montagem, e já entusiasmados cineastas amadores. Pedro encaminhou-me, simultaneamente, para o mundo marginal, artesanal e subterrâneo do super-8, e para o mainstream das máquinas eletrônicas não lineares de edição. Para aprender o Avid, eu passava madrugadas vendo o Pedro montar trailers de filmes B pornôs. Para introduzir-nos ao cinema, cortávamos juntos aqueles micro quadros de película em visionadeiras manuais.
Passam-se 15 anos. Filmes são realizados e filhos nascem, e de repente, em meio a uma confusa mise-en-scene no palco do Odeon, os nossos nomes “Karen Akerman e Pedro Bronz, Prêmio de Melhor Montagem de ficção e Melhor Montagem de documentário”. Subimos juntos ao palco e ouço – submersa na zonzeira da timidez diante da multidão atenta – gritos esparsos: “Pela Madrugada!” A forte emoção embargou a voz.
O meu trabalho em “O Lobo Atrás da Porta” também é uma situação decorrente de uma sólida amizade. Fernando é um parceiro com quem compartilho uma sintonia criativa muito frutuosa. Trabalhar neste contexto é um luxo, principalmente quando, para além de ser um grande amigo, é um diretor que pesquisa intensamente e prepara seus filmes com tamanho rigor.
Uma licença brega: apesar de ter a consciência de que os prêmios são perfumaria, aquela noite do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro foi (para mim) uma exaltação pública do amor e admiração que sinto por estes dois queridos amigos.”
Segundo Pedro, a premiação foi duplamente especial:
“Primeiro por receber um prêmio que é dado pela própria classe cinematográfica. E depois por receber esse prêmio ao lado de minha amiga/irmã/sócia/companheira de vida, a pessoa que eu mais conversei sobre cinema e principalmente montagem. Cometemos juntos os maiores erros e acertos cinematográficos e eis que me vejo catapultado para o palco ao lado dela, por projetos diferentes, mas juntos. Foi tudo muito rápido e na hora não entendi nada….a ficha ainda tá caindo, mas parece que dessa vez acertamos. Que venham os próximos erros!!!!
Alguns pilares nortearam a montagem do filme “A Farra do Circo”. O primeiro era o que chamamos de “tempo presente”, não existia passado, nem futuro. A ideia era dar a sensação de um filme que estava sendo feito na hora, na época, com os “recursos técnicos” que existiam quando as imagens foram produzidas, e com reflexões nada distanciadas de todo o turbilhão de acontecimentos que essa turma produziu. Um filme quente. Outra intenção era fazer com que o espectador se sentisse dentro do Circo Voador da época, vivenciando o que era estar num show. Para isso trabalhamos muito com os tempos mortos, os “nadas”, os vazios que aconteciam entre as perfomances, as improvisações…..  a espera da banda que não entrou no palco, o equipamento que não funciona, o artista que não veio….   Essas imagens/momentos que podem ser facilmente descartadas num primeiro momento foram os nossos principais recursos para dar esse sentido ao longo do filme.  Tivemos também a preocupação, sem perder uma narrativa que conduz a história, de compartilhar com o espectador a sensação de estar visionando o que chamamos na montagem de “Material Bruto”, ou seja, o material não editado, “não cortado”. Investindo no sentindo através da força interna de cada plano, mais do que na justaposição de imagens.”
A edt. parabeniza os dois colegas e agradece pelo discurso feito publicamente.

Filmes no É tudo verdade editados por associados da edt.

O festival É Tudo Verdade chega à sua 20º edição em quatro cidades, Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Brasília, consolidado como parâmetro essencial para o gênero do documentário.

O evento abre para o público no dia 09 de abril em São Paulo, dia 10 de abril no Rio de Janeiro, 29 de abril em Belo Horizonte e 27 de maio em Brasília.

O saudoso diretor Eduardo Coutinho (1933-2014) será homenageado e seu documentário final “Últimas Conversas”, montado pela associada Jordana Berg, será o filme de abertura em sessão para convidados no Rio e em São Paulo.

Os associados da edt. mais uma vez têm forte presença no festival assinando diversos filmes. Confira:

Jordana também montou dois longas em em competição “Caminho de volta”, de José Joffily e Pedro Rossi e “Eu sou Carlos Imperial”, de Renato Terra e Ricardo Calil.

Na mostra competitiva de curtas, o associado Arthur Frazão assina a montagem do curta “Caetana”, dirigido por Felipe Nepomuceno e que estará em cartaz nos dias 15 e 19 de abril em São Paulo e 16 e 17 de abril no Rio

O associado Vinicius Nascimento assina a montagem do curta “De Profundis”, dirigido por Isabela Cribari, que também compete na categoria de curta-metragem, estará em cartaz nos dias 12 e 19 em São Paulo e nos dias 14 e 16 no Rio

Na mostra Estado das Coisas,”Estrada de Sonhos”, o longa dirigido por Pedro von Krüger também foi montado por Arthur Frazão. Será exibido nos dias, 11, 13 e 15 em São Paulo e 17 e 19 de abril no Rio.

O filme Geraldinos, que é dirigido e produzido pelos associados Pedro Asbeg e Renato Martins será exibido nos dias 15 e 16 em São Paulo e nos dias 16, 17 e 18 no Rio, na mostra Estado das Coisas.

“Dominguinhos” está na mostra documentários musicais, foi montado pelo associado Joaquim Castro e dirigido por ele, Eduardo Nazarian e Mariana Aydar.

Confira a programação em: http://etudoverdade.com.br/br/programacao/

Documentário montado por Julia Bernstein premiado em Belo Horizonte

27.NOV.14 | O forumdoc.bh.2014 (festival do filme documentário e etnográfico/forum de antropologia e cinema) encerrou sua decima oitava edição em 30 de novembro. Entre os premiados, na mostra competitiva nacional, “Urihi Haromatipë – Os Curadores da Terra Floresta”, de Morzaniel Iramari Yanomami, foi eleito o melhor filme. O prêmio foi dividido com “A vizinhança do Tigre”, de Afonso Uchoa.

Com montagem da associada Julia Bernstein (junto com o diretor e Pedro Portella, o documentário registra imagens potentes de rituais de pajelança indígena Yanomami.

edt vai premiar melhor montagem de invenção na Semana dos Realizadores

19.NOV.14 | A edt e a Semana dos Realizadores selam uma parceria nesta sexta edição do festival. Uma comissão indicada pela diretoria da edt. vai conceder o Prêmio edt. – Ricardo Miranda de Montagem de Invenção para longas-metragens e curtas e médias-metragens em competição no festival, que acontece de 20 a 26 de novembro.

A diretoria indicou para compor o juri um nome integrante da diretoria atual, Vinicius Nascimento, um nome da diretoria anterior, Nina Galanternick, e um nome dentre os associados, Joana Collier. O trio terá a responsabilidade de conceder esse prêmio às montagens que melhor expressem sua potência inventiva.

O festival tem por regra oferecer 2 prêmios, respectivamente, ao melhor longa-metragem e melhor curta ou média-metragem, e além desses há 3 prêmios que podem ser concedidos pelo juri de acordo com sua avaliação. Agora, o prêmio edt. garante à montagem uma premiação permanente.

O prêmio edt.- Ricardo Miranda, além de ser  uma homenagem ao querido Ricardo Miranda, mestre da montagem de invenção, que nos deixou este ano, é também uma iniciativa de promover o reconhecimento do trabalho de nossos pares e divulgar nosso ofício.

“Considero o montador um autor – reflito e vejo o cinema do Brasil, atualmente, como um cinema pequeno, com um grande desamor para com os inventores. Donos de uma força monumental, de um vontade de jogar para as plateias filmes de significação, aposta, sentido, emoção, beleza, audácia, coragem e generosidade.” Ricardo Miranda

Confiram abaixo a lista dos concorrentes!

 

Longas-metragens em competição

A misteriosa morte de Pérola

62 min. digital. 2014. CE.

Direção: Guto Parente

Montagem: Guto Parente

23/11 – 19h

A vizinhança do tigre

95 min. digital. 2014. MG.

Direção: Affonso Uchoa

Montagem: Luiz Pretti, Affonso Uchoa e João Dumans

20/11 – 21h30

Batguano

75 min. digital. 2014. PB.

Direção: Tavinho Teixeira

Montagem: Arthur Lins

21/11 – 19h15

Brasil S/A

70 min. digital. 2014. PE.

Direção: Marcelo Pedroso

Montagem: Daniel Bandeira

25/11 – 21h30

Com os punhos cerrados

74 min. digital. 2014. CE.

Direção: Luiz Pretti, Pedro Diogenes e Ricardo Pretti

Montagem: Clarissa Campolina

21/11 – 21h30

Dromedário no asfalto

84 min. digital. 2014. RS.

Direção: Gilson Vargas

Montagem: Vicente Moreno

25/11 – 19h15

Ela volta na quinta

118 min. digital. 2014. MG.

Direção: André Novais Oliveira

Montagem: Gabriel Martins

24/11 – 21h30

Flutuantes

75 min. digital. 2013. RJ.

Direção: Rodrigo Savastano

Montagem: Júlia Bernstein e Rodrigo Savastano

20/11 – 19h15

Noite

80 min. digital. 2014. RJ.

Direção: Paula Gaitán

Montagem: Paula Gaitán

24/11 – 19h15

Sinfonia da necrópole

85 min. digital. 2014. SP.

Direção: Juliana Rojas

Montagem: Manoela Ziggiatti

19/11 – 21h30

Urihi Haromatipë – Curadores da Terra-floresta

60 min. digital. 2014. RO.

Direção: Morzaniel ƚramari Yanomami

Montagem: Pedro Portella, Julia Bernstein e Morzaniel

ƚramari Yanomami

22/11 – 19h

Ventos de agosto

77 min. digital. 2014. PE.

Direção: Gabriel Mascaro

Montagem: Ricardo Pretti e Eduardo Serrano

23/11 – 21h

 

Curtas e médias-metragens em competição

A máquina do tempo

5 min. digital. 2013. Brasil/Alemanha.

Direção: Gustavo Jahn e Melissa Dullius

Montagem: Gustavo Jahn e Melissa Dullius

25/11 – 19h15

Aquele cara

19 min. digital. 2013. CE/MG

Direção: Dellani Lima

Montagem: Dellani Lima, Ana Moravi

20/11 – 19h15

Arquipélago

28 min. DCP. 2014. Brasil/Chile

Direção: Gustavo Beck

Montagem: Ernesto Gougain

23/11 – 21h30

Karioka

20 min. digital. 2014. MT.

Direção: Takumã Kuikuro

Montagem: Takumã Kuikuro

25/11 – 21h30

Nada é

32 min. digital. 2014. CE.

Direção: Yuri Firmeza

Montagem: Frederico Benevides

23/11 – 19h

Nova Dubái

56 min. digital. 2014. SP.

Direção: Gustavo Vinagre

Montagem: Rodrigo Carneiro

22/11 – 23h30

Retrato n. 1 Povo acordado e suas 1.000 bandeiras

5 min. digital. 2013. MG.

Direção: Edu Ioschpe

Montagem: Edu Ioschpe

21/11 – 21h30

Rua de mão única

10 min. digital. 2013. MG.

Direção: Cinthia Marcelle e Tiago Mata Machado

Montagem: Tiago Mata Machado

24/11 – 19h15

Si no se puede bailar, esta no es mi revolución

16 min. digital. 2014. Brasil/Cuba.

Direção: Lillah Halla

Montagem: Angela Waimai

19/11 – 21h30

Vailamideus

8 min. digital. 2014. CE.

Direção: Ticiana Augusto Lima

Montagem: Ticiana Augusto Lima

22/11 – 23h30

Vertières I, II, III

10 min. digital. 2014. RJ.

Direção: Louise Botkay

Montagem: Louise Botkay

22/11 – 19h

Vistas e visões

14 min. digital. 2014. SP

Direção: André Francioli da Conceição

Montagem: André Francioli da Conceição

21/11 – 19h15

edt. marca presença na Semana dos Realizadores

17.NOV.14 | A Semana dos Realizadores chega à sua sexta edição no Rio, se firmando como uma das principais vitrines da atual produção brasileira de invenção em curtas, medias e longas metragens.

O evento abre para o público nesta quinta, dia 20, no Espaço Itaú de Cinema e apresenta, em meio à sua programação, alguns filmes montados por associados da edt.

Em competição, “Flutuantes”, longa dirigido por Rodrigo Savastano e montado pelo diretor e por Julia Bernstein (ambos associados), será exibido no dia 20 às 19h15. O filme é um ensaio documental sobre a liberdade em seus aspectos mais afirmativos: criação, autonomia, sonho, prática, moradia, política e pensamento.

Julia Berstein também montou, com Pedro Portella e Morzaniel ƚramari Yanomami, o longa “Urihi Haromatipë – Curadores da Terra-Floresta”, de Morzaniel ƚramari Yanomami. O filme passa em sessão competitiva dia 22 às 19h.

“Claun (Parte 1: Os dias aventurosos de Ayana)”, é o primeiro episódio de um projeto transmídia do diretor Felipe Bragança. A série foi montada pela associada Marina Meliande, e narra uma semana na vida de uma menina tragada pelo mundo das gangues de mascarados do carnaval carioca. Sessão especial dia 26 às 17h.

O associado Vinícius Nascimento é o montador de “É Tudo Mentira”, um filme do coletivo mídia ativista ¡No pasarán!, que tem com foco central a guerra midiática em torno dos protestos no Brasil em 2013. Sessão dia 25 às 17h.

A mostra especial Mestres presta homenagem ao diretor Luiz Rozemberg Filho. Seu mais recente longa-metragem, “Dois Casamentos”, montado pela associada Joana Collier, terá sua pré-estreia no dia 26 às 19h. O filme gira em torno de duas personagens femininas, que conversam sobre a vida, o afeto e o casamento.

A edt. ainda estará presente em outras atividades da semana, que divulgaremos em breve. Confira a programação em http://www.semanadosrealizadores.com.br/site/programacao/grade/

Filmes montados por associados recebem prêmios no Curta Cinema

15.NOV.14 | O Curta Cinema, Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro, encerrou sua vigésima quarta edição tendo exibido uma seleção da variada recente produção no formato.

O júri da mostra competitiva nacional foi formado por Magali Simard, Katrin Küchler e André Miranda, e premiou filmes que tiveram montagem de associados da edt.

“O Bom Comportamento”, montado e dirigido por Eva Randolph (com co-montagem de Marília Morais), recebeu o prêmio de melhor roteiro (de Eva Randolph e René Guerra).

“A Deusa Branca”, montado por Alexandre Gwaz, tecebeu o pêmio de melhor direção para Alfeu França.

O público também votou em filmes que tiveram participação de nossos associados. Com montagem de Julia Bernstein, Ameaçados”, de Julia Mariano, foi eleito o melhor filme pelo júri popular na competição nacional e “Outono”, filme de Anna Azevedo montado por Eva Randolph, foi escolhido pelo público na mostra Panorama Carioca.

Montagem de Nina Galanternick premiada em Recife

04.NOV.14 | A sétima edição do Janela Internacional de Cinema do Recife realizou sua cerimônia de premiação no ultimo domingo, dia 2 de novembro. A associada da edt. Nina Galanternick e Karen Sztajnberg receberam o prêmio de melhor montagem por “Casa Grande”, longa de Fellipe Barbosa.

Sobre a montagem do filme Nina contou que:

“A maioria das sequencias foram filmadas em planos-sequencia, então uma tarefa importante e demorada era a escolha do melhor take. O material bruto era muito rico e cheio de informações, um grande desafio era escolher quais informações deixar no filme e quais omitir, oferecendo lacunas ao espectador, mas com muito cuidado para que não se tornassem abismos. Mas a tarefa mais trabalhosa mesmo foi acertar a mão na construção das relações de afetividade entre os moradores da casa e os empregados”

O curta “O Bom Comportamento”, dirigido e montado pela associada Eva Randolph, recebeu o prêmio de melhor som na categoria curta.

O festival, dirigido pelo cineasta Kleber Mendonça Filho, exibiu mais de 130 produções brasileiras e estrangeiras e teve recorde de público desde sua primeira edição em 2008: este ano, 17 mil pessoas frequentaram sessões em três espaços da cidade, incluindo o tradicional Cinema São Luiz.

É muito bom ver associados tendo seus trabalhos reconhecidos! Parabéns!

Foto 255

 

Confira a lista completa dos premiados:

 Competição de longas

*Júri: Chris Stults, João Vieira Jr e José Geraldo Couto

Melhor longa: “A Professora do Jardim de Infância” (Haganenet , Israel /França, 2014), de Nadav Lapid

Melhor DireçãoGabriel Mascaro, por “Ventos de Agosto” (PE, 2014)

Melhor Imagem: “Jauja” (Argentina/França, 2014), de Lisandro Alonso

Melhor SomMaurício d´Orey, por “Ventos de Agosto” (PE, 2014), de Gabriel Mascaro

Melhor MontagemNina Galanternick e Karen Sztajnberg, por “Casa Grande” (RJ, 2014), de Fellipe Barbosa

 Competição Nacional de Curtas

*Júri: Barbie Heussinger, Rafael Ciccarini e Nara Normande

Melhor curta: “Quinze” (MG, 2014), de Maurílio Martins

Melhor imagem: “Nua por Dentro do Couro” (MA, 2014), de Lucas Sá

Melhor som: “O Bom Comportamento” (RJ, 2014), de Eva Randolph

Melhor montagem: “A Era de Ouro” (CE, 2014), de Leonardo Mouramateus

Menção honrosa: “O Lugar Mais Frio do Rio”, de Madiano Marcheti

 Competição Internacional de Curtas

*Júri: Michael Gibbons, Karen Black e Roberta Veiga

Melhor Filme: “A Galinha” (The Chicken, Alemanha, 2014), de Una Gunjak

Melhor Montagem: “Redenção” (Redemption, Portugal, França, Alemanha e Itália, 2013), de Miguel Gomes

Melhor Som: “A rainha” (La Reina, Argentina, 2013), de Manuel Abramovich

Melhor imagem: “Bens Abandonados” (Abandoned goods, Reino Unido, 2014), de Pia Borg e Edwar Lawrenson

 Prêmio João Sampaio para Filmes Finíssimos que Celebram a Vida

“A misteriosa morte de Pérola” (CE), de Guto Parente e Ticiana Augusto Lima

 Prêmio Aquisição Canal Curta! (R$ 5 mil)

“A Era de Ouro” (CE), de Leonardo Mouramateus

 Prêmio Janela Crítica

Curta nacional: “La llamada” (SP), de Gustavo Vinagre

Curta estrangeiro: “Oh Lucy” (Japão), de Atsuko Hirayagi

Longa: “A misteriosa morte de Pérola” (CE), de Guto Parente e Ticiana Augusto Lima

 Júri ABD/APECI (curtas nacionais)

Júri: Gabi Saegesser, Mauricio Correia e Roberto Azoubel

1º lugar: “Quinze” (MG, 2014), de Maurílio Martins

2º lugar: “Noites traiçoeiras” (PE, 2014) de João Lucas

 Prêmio FEPEC – Federação Pernambucana de Cineclubes

Júri: Pietro Félix, Gabriela Saldanha e Fabiana Maria

 Melhor Filme Para Reflexão: “Si no se puede bailar, esta no es mi revolución” (SP/Cuba, 2014), de Lillah Hallah

 

Mostra Internacional de Cinema de São Paulo premia filmes montados por associados edt.

02.NOV.14 | A 38ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo anunciou seus premiados. Dentre eles, dois longas-metragens foram montados por associados da edt.. São eles “Casa grande”, de Fellipe Barbosa, montado pela associada Nina Galanternick e por Karen Stajnberg, ganhador do prêmio da Associação Brasileira de Críticos de Cinema, a ABRACCINE; e “Encantados”, de Tizuka Yamasaki, montado por Tainá Diniz e Martha Luz, recebeu o Prêmio da Juventude – Melhor Filme Brasileiro.

Confira abaixo a lista completa dos vencedores da 38ª Mostra de SP:

 

Troféu Bandeira Paulista 2014

Prêmio do Júri – Melhor Ficção
“Entre mundos”, de Feo Aladag (Alemanha)

Prêmio do Júri – Melhor Documentário
“A guerra das patentes”, de Hannah Leonie Prinzler (Alemanha)

Prêmio do Público – Melhor Ficção Internacional
“Relatos selvagens”, de Damián Szifrón (Argentina, Espanha)
“Do que vem antes”, de Lav Diaz (Filipinas)
“Sam”, de Elena Hazanov (Suíça)

Prêmio do Público – Melhor Ficção Brasileiro
“A história da eternidade”, de Camilo Cavalcante

Prêmio do Público – Melhor Documentário Internacional
“Charles Chaplin: A lenda do século”, de Frédéric Martin (França)

Prêmio do Público – Melhor Documentário Brasileiro
“Cássia”, de Paulo Henrique Fontenelle

Prêmio da Crítica – Melhor Filme

“Leviatã”, de Andrey Zvyagintsev (Rússia)

Menção Honrosa da Crítica
Mostra Victor Erice (Espanha)
“A ilha dos milharais”, de George Ovashili (Geórgia)
“Retorno a Ítaca”, de Laurent Cantet (França)
“O pequeno Quinquin”, de Bruno Dumont (França)

Prêmio ABRACCINE
“Casa grande”, de Fellipe Barbosa (Brasil)

Prêmio Associação Autores de Cinema – Melhor Roteiro
“A gangue” (Ucrânia), roteiro de Myroslav Slaboshpytskiy

Prêmio da Juventude – Melhor Filme Internacional
“Labyrinthus”, de Douglas Boswell (Bélgica, Holanda)

Prêmio da Juventude – Melhor Filme Brasileiro
“Encantados”, de Tizuka Yamasaki

Prêmio Humanidade
Geraldine Chaplin
Marin Karmitz
Jia Zhangke

 

Filmes montados por associados da edt. são premiados no Festival do Rio

09.OUT.14 | A edição de 2014 do Festival do Rio terminou nesta quarta premiando, em diversas categorias, títulos que tiveram montagem de associados da edt.

“Sangue Azul”, de Lírio Ferreira, foi o longa de ficção vencedor da mostra competitiva da Première Brasil. O filme, montado por Mair Tavares e Tina Saphira, recebeu também os prêmios de melhor direção e melhor ator coadjuvante.

“Casa Grande”, de Fellipe Barbosa, foi eleito melhor longa de ficção pelo júri popular. A associada Nina Galanternick assina a montagem do filme, junto com Karen Sztajnberg. O documentário escolhido, “Favela Gay”, dirigido por Rodrigo Felha, foi montado por Quito Ribeiro.

Na mostra Novos Rumos, “O bom comportamento”, dirigido por Eva Randolph e montado por ela e Marília Morais, foi escolhido o melhor curta. Alexandre Gwaz montou “Deusa Branca”, de Alfeu França, vencedor do prêmio especial do júri.

Parabéns aos associados, que mais uma vez marcaram firme presença nesse que é um dos mais importantes festivais do Brasil.

Confira a lista completa dos premiados do festival:

Melhor Longa-Metragem de Ficção: Sangue Azul, de Lírio Ferreira
Melhor Longa-Metragem de Doc: À Queima Roupa, de Theresa Jessouroun
Melhor Curta-Metragem: Barqueiro, de José Menezes e Lucas Justiniano
Melhor Diretor de Ficção: Lírio Ferreira ( Sangue Azul)
Melhor Diretor de Doc: Theresa Jessouroun (À Queima Roupa)

Melhor Atriz: Bianca Joy Porte (Prometo Um Dia Deixar Essa Cidade)
Melhor Ator: Matheus Fagundes (Ausência)
Melhor Atriz Coadjuvante: Fernanda Rocha (O Último Cine Drive-In)
Melhor Ator Coadjuvante: Rômulo Braga (Sangue Azul)
Melhor Fotografia: André Brandão (Obra)
Melhor Montagem: Luisa Marques (A Vida Privada Dos Hipópotamos)
Melhor Roteiro: Murilo Salles (O Fim E Os Meios)
Prêmio Especial Do Júri: Ausência, de Chico Teixeira
Prêmio pelo Conjunto da Obra: Othon Bastos

Novos Rumos
Melhor Filme: Castanha, de Davi Pretto
Melhor Curta: Bom Comportamento, de Eva Randolph
Prêmio Especial do Júri: Deusa Branca, de Alfeu França
Júri presidido por Felipe Bragança e composto por Bianca Comparato e Cavi Borges

Prêmio Fipresci: Obra, de Gregorio Graziosi
Júri composto por Ernesto Diez Martinez, Luiz Zanin e Roni Filgueiras

Júri voto popular
Melhor Longa Ficção: Casa Grande, de Fellipe Gamarano Barbosa
Melhor Longa Documentário: Favela Gay, de Rodrigo Felha
Melhor Curta: Max Uber, de Andre Amparo

Mostra Geração: Finn, de Frans Weisz

Prêmio Felix
Melhor Documentário: De Gravata e Unha Vermelha, de Miriam Chnaiderman
Melhor Ficção: Xenia, de Panos H. Koutras

Prêmio Especial do Júri: Toda Terça-Feira, de Sophie Hyde