Associados > Lista de Associados

  • Nome
  • Atividade
  • Categoria
  • Especialidades
  • Software
  • Idiomas
  • Prêmios

    Melhor documentário no Festival do Rio 2012 (Hélio Oiticica)
    FIPRESCI PRIZE Festival de Berlim 2013 (Hélio Oiticica)
    Caligari – Filmpreis Festival de Berlim 2013 (Hélio Oiticica)
    Prêmio Especial do Júri FILAF 2013 (Hélio Oiticica)
    Melhor documentário no 27° Festival de Cinema de Toulouse 2015 (Tudo vai ficar da cor que você quiser)
    Melhor Documentário Curta‐Metragem Competição Brasileira / Prêmio Canal Brasil de Curtas – É tudo verdade 2015 (De Profundis)

  • IMdb
  • Email
  • Tel.
  • Curriculo

    Vinicius Nascimento, edt.

    Formado em jornalismo com curso de especialização em montagem / edição na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Realizou pós graduação (Latu Sensu) em Literatura Brasileira na PUC-RJ e em Cinema Documentário na FGV. Mestrado em ciência da arte na UFF (Universidade Federal Fluminense).

    Editor de cinema, vídeo e TV seus principais trabalhos são:

    O longa premiado no Festival de Berlim e no Festival do Rio "Hélio Oiticica" (2012), o filme manifesto de Helena Ignez "Feio, eu?" (2013), o documentário "Vinegar Syndrome" (2013) exibido em Frankfurt (Alemanha) no Deutschen Filmmuseums e no Centro de Arte e Mídia (ZKM) em Karlsrushe (também na Alemanha) e o documentário sobre a vida do escritor Rodrigo de Souza Leão "Tudo vai ficar da cor que você quiser" de Letícia Simões (2014), premiado como melhor documentário no 27 Festival de Cinema de Toulouse 2015.

    As séries “Mulheres de Aço” (GNT), “Bom de Briga”(SPACE), "Mulheres em Luta" (GNT) e "Especial Apnéia"(Canal OFF). Os programas "Comédia da Vida Surda" e "Gera Mundos" (TVINES).

    Os vídeos performance, “A invenção da cor” (sobre os penetráveis de Hélio Oiticica) e “A encarnação mimética de peças que foram feitas com fibra, lixadas e agora estão no osso” (performance de Tunga dirigido por Murilo Salles) – ambos expostos no Inhotim-MG.

    E vários curtas entre eles Jean Marie (RJ- 2013), Futebol na Terra da Rasteira (AL-2013) e De Profundis (PE-2014), que recebeu o prêmio de Melhor Documentário Curta-Metragem Competição Brasileira / Prêmio Canal Brasil de Curtas – É tudo verdade 2015 .

    Dirigiu e editou os curtas "Mosca Morta" (2010) e "eu sou muito bom… e muito ruim" (2014).

    Recentemente editou os curtas de ficção, "Pele 1 Real" (Direção: Aline Guimarães e Dandara Ohana Guerra) e "Verde Violeta" (Direção: Rafaela Arrigoni) e está editando o longa documentário "Amazônia, da Cidadania a Florestania, um despertar" de Christiane Torloni e Miguel Przewodowski.